Mulheres cubanas e a revolução em movimento

13/01/2020 20:26

por Ana Margarita González

O papel inquestionável das mulheres no trabalho revolucionário terá um reconhecimento especial neste 2020, quando se comemora os 60 anos da criação da Federação das Mulheres Cubanas, por iniciativa do comandante-chefe Fidel Castro; uma organização autêntica, unitária e genuína que já possui mais de 4 milhões e 300 mil filiadas, conforme explicou Teresa Amarelle Boué, membro do Bureau Político do Partido e secretária geral da FMC, em entrevista coletiva.

As comemorações são levadas a cabo em um ano marcado por importantes eventos históricos, ligados ao 205º aniversário do nascimento de Mariana Grajales; aniversário 90, da Eterna Presidente do FMC, Vilma Espín Guillois; e o 40º aniversário do desaparecimento físico de Celia Sánchez Manduley e o centenário de seu nascimento.

Teresa Amarelle afirmou que o dia começou com as atividades prévias ao X Congresso da FMC, em 8 de março, e durará até 23 de agosto de 2020, “prestando homenagem as principais protagonistas das missões desenvolvidas pelas cubanas, como beneficiárias do primeiro programa de igualdade que significou, o Triunfo da Revolução em 1º de janeiro de 1959″.

Será uma comemoração com alegria, otimismo, comprometimento, confiança no futuro socialista e no papel das novas gerações como garantia da continuidade da FMC, onde destacarão os eventos históricos em que a organização tem sido protagonista.

Cenário ideal para homenagear a Eterna Presidente da FMC, Vilma Espín Guillois, no 90º aniversário de seu nascimento, para exaltar o pensamento revolucionário, de igualdade e justiça social de nosso Comandante Chefe Fidel Castro Ruz, fundador da Federação das Mulheres Cubanas; destacam os valores de Mariana Grajales e ratificam a convicção de que a união das cubanas constitui a arma mais valiosa da Revolução, expressa na identificação e no vínculo indissolúvel do povo e de seu único partido.

Entre as atividades planejadas estão os atos de entrada de mulheres jovens que completam os 14 anos; recrutamento de jovens para o Serviço Militar Voluntário Feminino; consolidam-se as atividades das frentes femininas da FMContigo e as “cruzadas dos 60 anos” e culminará o processo político “Fazer a revolução sobre a marcha”, slogan que acompanhará esse estágio de preparação.

 

O conteúdo dos programas de treinamento das Casas e Famílias de Orientação para Mulheres será adaptado às necessidades de emprego dos municípios; Outro objetivo é consolidar o trabalho conjunto com a ANAP, uma vez que atualmente estão em operação 3.112 Brigadas FMC-ANAP. Haverá reuniões de mulheres criativas e, juntamente com os CR, a criação de 1504 Brigadas de Solidariedade foi incentivada a apoiar famílias subsidiadas.

A organização de mulheres contribui para a promoção de novas fontes de emprego para as mulheres, especialmente nas comunidades rurais, apoia o Movimento Urbano, Suburbano e Agricultura Familiar com a declaração dos pátios do 60º aniversário (30.267 foram declarados). E estende sua atenção às mulheres do setor não estatal, que representam 34% das incorporadas a essa forma de gestão.

A presença de mulheres em cargos de alto nível, que representam 51,5% no Estado e no Governo, demonstra a liderança alcançada pelos cubanos nesses espaços e também no ramo científico, onde ocupam mais de 60% da força de trabalho.

Fonte: Geonotícias
https://www.geonoticias.com.br/mulheres-cubanas-e-a-revolucao-em-movimento/

Voltar

Pesquisar no site

© 2008 Todos os direitos reservados.