Jornalista da Agência Reuters em Cuba era colaborador da CIA

14/04/2011 00:14

A TV estatal cubana acusou o ex-chefe do escritório da agência Reuters em Havana, Anthony Boadle, de intermediar contatos entre um agente cubano com um espião da Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos (CIA), informou a Associated Press (AP). As denúncias foram feitas na última segunda-feira no programa Razões de Cuba, cujo tema são complôs contra o regime cubano.

O Departamento de Estado americano não se manifestou, enquanto a Reuters negou a acusação. "Reuters refuta as alegações do da reportagem, e se mantém firme em sua história de 160 anos de informação exata e imparcial em Cuba e no mundo", disse Erin Kurtz, um porta-voz da Thomson Reuters. Boadle, que hoje é editor da Reuters em Washington, trabalhou para a agência em Cuba entre 2002 e 2008.


O programa mostrou, na última segunda-feira (4) a entrevista de Raul Capote — que trabalhou para a inteligência cubana e foi convidado por Boadle a uma recepção da embaixada alemã. Logo após o convescote, o jornalista o levou para se encontrar com o diplomata Mark Sullivan, que trabalhou na missão diplomática dos EUA em Havana entre 2006 e 2008. Foi Sullivan que, mais tarde, revelou ser um agente da CIA.


Em fevereiro, o Granma, jornal do Partido Comunista, criticou um editorial do Wall Street Journal intitulado "Será Cuba o próximo Egito?". No mês anterior, a CNN em Espanhol foi banida da TV paga cubana, disponível em hotéis e para estrangeiros, por estimular ofensas a Cuba.

Da Redação, com informações do Portal Imprensa

Voltar

Pesquisar no site

© 2008 Todos os direitos reservados.