Filme sobre 5 Heróis Cubanos vai disputar Veneza e abrir Mostra em SP

07/08/2019 18:36

Brasil e Cuba se encontrarão em breve – no cinema. Wasp Network, o novo filme do diretor francês Olivier Assayas, vai contar a história real dos 5 Heróis Cubanos que foram presos injustamente nos Estados Unidos. O projeto é do brasileiro mais bem-sucedido em Hollywood – o produtor Rodrigo Teixeira. A história se baseia no livro-reportagem Os Últimos Soldados da Guerra Fria, do jornalista e escritor Fernando Morais. E um dos personagens principais caberá ao ator Wagner Moura.

O elenco também conta com dois “latinos” de peso: a espanhola Penélope Cruz e Gael García Bernal. Do alto dessas credenciais, Wasp Network vai disputar, neste mês, o Leão de Ouro no Festival de Veneza. Em 17 de outubro, o longa abrirá a 43ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, onde outros dez filmes de Olivier Assayas serão exibidos numa retrospectiva especial.

O título Wasp Network remete à Rede Vespa – um grupo de espiões cubanos que, passando-se por desertores da Ilha, conseguiram chegar a Miami e foram aceitos na comunidade anticastrista de Little Havana. Nem mesmo as famílias desses espiões sabiam da missão. Uma vez nos Estados Unidos, eles passaram a ocupar postos estratégicos e, às escondidas, passavam informações estratégicas ao regime socialista. 

Para enfrentar o “período especial” – que sobreveio ao fim da União Soviética e do bloco socialista –, o líder cubano Fidel Castro apostou, entre outras medidas, no incentivo ao turismo. Os resultados iniciais ficaram acima do esperado e ajudaram Cuba a se reerguer. Em represália, os Estados Unidos armaram atentados terroristas em hotéis, aviões, aeroportos e pontos turísticos. Além de prejuízos, os ataques provocaram a mortes de cubanos e estrangeiros que visitavam a Ilha. 

Os espiões tinham a missão de descobrir os planos terroristas norte-americanos – ou para tentar abortá-los, ou para alertar Havana de antemão. Como fachada para não serem descobertos, eles trabalhavam em pequenos bicos ou empregos e se integravam a organizações de extrema-direita que sabotavam Cuba. Uma vez infiltrados, conseguiram, discretamente, frustrar alguns ataques – até serem denunciados e presos. 

Ao ler o livro de Fernando Morais sobre o tema, Rodrigo Teixeira adquiriu os direitos para sua produtora, a RT Features. O longa foi rodado no ano passado e é uma espécie de “menina dos olhos” do produtor. “É uma história inacreditável sobre como um país de terceiro mundo conseguiu implantar espiões nos Estados Unidos por tanto tempo numa época anterior à paranoia do 11 de Setembro. Seria mais plausível hoje – por isso que faz todo o sentido agora”, afirmou Rodrigo, nesta segunda-feira (5), à Folha de S.Paulo.

A escolha de um francês para a direção não foi automática. “Fui procurado por vários diretores e nenhum projeto aconteceu. Até que fui sondado por um agente do Olivier Assayas – e eu achei que o roteiro era a cara dele por causa de Carlos, o Chacal”, explica Rodrigo. Além de Wasp Network, sua produtora concorrerá em Veneza com Ad Astra, um filme de ficção científica estrelado por Brad Pitt. O festival ocorre de 28 de agosto a 7 de setembro.
 
Voltar

Pesquisar no site

© 2008 Todos os direitos reservados.