Boicote EXTRA - Vidas Negras Importam

18/02/2019 19:32
Vidas negras importam
 
“Se você é capaz de tremer de indignação a cada vez que se comete uma injustiça no mundo, então somos companheiros.”
Ernesto Che Guevara
 
 
Ontem, dia 17 de fevereiro, foi feito um ato de protesto em frente ao supermercado Extra da Barra da Tijuca, onde Pedro Gonzaga foi covardemente assassinado pelo segurança do local. A Associação Cultural José Martí do Rio de Janeiro – ACJM-RJ estava presente neste ato tão importante e declara boicote a essa rede de supermercado.
Pedro Gonzaga era um jovem que teve uma convulsão próximo ao segurança do Extra, que o imobilizou com um golpe "mata-leão" e não o soltou, nem mesmo quando a mãe do menino chegou e implorou para que o segurança poupasse seu filho, que tinha problemas mentais e estava sob efeito de entorpecente. Motivo: o segurança pensou que Pedro estava simulando um ataque para lhe roubar a arma. Alexandre da Silva Serrano esperava sua família chegar, quando levou 3 tiros. Motivo: segurava um guarda-chuva e a PM confundiu com um fuzil. Marcos Vinícius da Silva, de apenas 14 anos, foi morto pela polícia, em plena luz do dia, a caminho da escola. Motivo: um jovem uniformizado com mochila andando na Maré parece bandido. 
Existem muitas semelhanças nesses três casos que ocorreram há menos de um ano: os três assassinos foram absolvidos; nos três casos a justiça entendeu que não houve intenção de matar e as três vítimas são jovens negros. Segundo o IPEA, a cada 100 pessoas assassinadas no Brasil, 92 são jovens entre 15 e 29 anos e 71 são negras. Isso ocorre porque, no Brasil, matar negros não é crime, é projeto de governo, é institucionalizado. A mídia nos ensina diariamente que o jovem negro é um perigo para a população; polícia militar é treinada para executar negros e o homicídio é sempre justificado; toda vez que um negro é assassinado, várias pessoas se mobilizam para provar que a vítima tinha algum envolvimento com o tráfico; mês que vem  fará um ano em que a Vereadora mais votada do Rio de Janeiro foi executada e a população ainda não tem respostas sobre quem são os envolvidos na morte de Marielle e Anderson; Rafael Braga foi preso por portar pinho sol; ...
Não podemos mais assistir calados a tanta injustiça. A morte de uma pessoa não pode ser menos revoltante que a morte de um cachorro. Temos que nos revoltar, temos que denunciar, temos que fazer barulho e incomodar, temos que lembrar para sempre esse dia, temos que lembrar para sempre os seus nomes:
Marielle - PRESENTE!
Anderson - PRESENTE!
Marcos Vinícius - PRESENTE!
Alexandre Serrano - PRESENTE!
Pedro Gonzaga - PRESENTE!
AGORA E SEMPRE!

Voltar

Pesquisar no site

© 2008 Todos os direitos reservados.