Raúl Castro homenageia resistência e luta do povo cubano

06/02/2014 01:20

O presidente de Cuba, Raúl Castro, homenageou a capacidade de resistência e luta do povo cubano, que, segundo ele, tornaram possível que a Revolução cubana comemore o seu 55º aniversário, nesta quarta-feira (1º/01).


Nem o mais sonhador dentre nós, que acompanhamos Fidel (Castro) em um ato como este no dia primeiro de janeiro de 1959 podia imaginar que hoje estaríamos aqui, disse o chefe de Estado ao presidir o ato nacional comemorativo na cidade de Santiago de Cuba.

Raúl Castro enfatizou que não foi nada fácil este longo e venturoso caminho. Isto foi possível graças à imensa capacidade de resistência e luta de muitas gerações do povo cubano, verdadeiro protagonista desta sua revolução, sublinhou.

O presidente recordou que o processo revolucionário teve que enfrentar desde bem cedo planos de desestabilização dos Estados Unidos, que deu refúgio a criminosos, torturadores e malversadores do regime de Fulgêncio Batista.

Cuba sofreu o terrorismo de Estado, a sabotagem e o bandidismo armado, a expulsão da OEA, a invasão de Praia Giron, o bloqueio econômico, comercial e financeiro, a campanha para difamar o processo revolucionário e em especial Fidel Castro, vítima de centenas de planos de atentados, disse.

Raúl Castro denunciou o assassinato de professores, alfabetizadores, operários, camponeses, estudantes e diplomatas - um total de 3.478 mortos e 2.099 inválidos.

Foram 55 anos de incessante luta frente aos desígnios de 11 administrações norte-americanas que não abandonaram o propósito de derrocar a revolução, apontou.

Diante de comandantes e combatentes históricos e de uma representação do povo de Santiago, Raúl Castro expressou que a Revolução Cubana pôs fim a vários mitos, entre eles que não era possível construir o socialismo em uma pequena ilha a 90 milhas dos Estados Unidos.

Prensa Latina

 

Voltar

Pesquisar no site

© 2008 Todos os direitos reservados.