Firme rejeição do MNOAL ao bloqueio dos EUA contra Cuba

24/07/2009 00:51

 

HAVANA, Cuba, 16 jul (ACN) - O Movimento de Países Não-Alinhados (MNOAL) ratificou sua firme rejeição à adoção e aplicação de medidas coercitivas unilaterais e extraterritoriais, entre elas o bloqueio econômico dos EUA a Cuba.

 

Ao encerrar a cúpula do Movimento, que ocorreu no balneário de Sharm El-Sheikh, no Egito, o presidente desse país, Hosni Mubarak, declarou a adoção de uma resolução especial similar em título e conteúdo às adotadas pela Assembléia Geral da ONU, destaca a Prensa Latina em uma de suas reportagens. Além disso, os participantes assinaram a Declaração Final do evento, apoiada pelos 118 estados-membros.  

 

Os delegados recordaram as 17 resoluções já adotadas pela Assembléia Geral da ONU sobre a necessidade de pôr fim a essa medida punitiva contra Cuba e numerosas outras declarações e resoluções de diferentes governos, organismos e foros intergovernamentais.

 

O documento condena as sanções econômicas unilaterais ou outras medidas ilegais contrárias ao direito internacional que busquem exercer pressão sobre países Não-Alinhados.

 

O cerco econômico imposto por Washington a Havana dura já quase meio século e 70% os cubanos nasceram sob o bloqueio, diz o texto, que foi respaldado verbalmente por 40 países durante os debates de especialistas e chanceleres.

 

Os chefes de Estado e governo reunidos neste novo foro manifestaram sua preocupação com a continuação dessa política unilateral de longa duração com efeitos extraterritoriais, apesar de ter sido consistentemente recusada pela maioria dos Estados.

 

Agência Cubana de Notícias

Voltar

Pesquisar no site

© 2008 Todos os direitos reservados.