Educação em Cuba: A bússola que não devemos perder

20/05/2016 22:51

Cuba conta com os mecanismos para que todas as famílias com crianças entre zero e seis anos recebam atendimento educativo. As vias podem ser institucionais ou não institucionais e em quaisquer das variantes sempre trabalha pessoal com formação pedagógica.

Por Yenia Silva Correa, no Granma Internacional

 

Em cada creche as crianças são atendidas por pessoal especializado com formação pedagógicaEm cada creche as crianças são atendidas por pessoal especializado com formação pedagógica

No país é amplamente conhecido o trabalho das creches, responsáveis desde os primeiros anos da Revolução por atender as crianças em idade pré-escolar.

Com um objetivo similar, em 1992, generalizou-se o programa ‘Eduque seu filho’, estruturado para dar atendimento à família desde que se detecta a gravidez com uma finalidade bem definida: prepará-la para contribuir com a educação e o desenvolvimento integral de seus filhos, nas condições do lar.

Se bem este programa se desenvolve fora do âmbito constitucional, suas promotoras e agentes educativas recebem a assessoria do Centro de Referência Latino-americano para a Educação Pré-escolar (Celep), entidade com quase 20 anos de experiência na capacitação e superação de educadores, tanto cubanos quanto latino-americanos, a qual neste momento prepara o 12º Encontro Internacional de Educação Inicial e Pré-escolar, com o tema “Diversidade cultural e desenvolvimento integral”.

Sobre o funcionamento do ‘Eduque seu filho’ e os eventos internacionais de Educação Inicial e Pré-escolar, o Granma Internacional conversou com a diretora do Celep, Miriam Díaz González.

Falemos do ‘Eduque seu filho’ e o Celep.

“O primeiro que devemos enfatizar é que no caso da primeira infância apenas 18% da população infantil recebe atenção educativa nas instituições. É ínfima a população destas idades que é atendida em uma instituição. Isto faz com que o trabalho do Celep e do Ministério de Educação tenha maior ênfase na modalidade não institucional. Com quem mais trabalhamos é com os promotores e com os executores deste programa”.

“Esses 18% que temos na creche sabemos que estão bem cuidadas, bem atendidas, bem educadas, que têm um pessoal profissional para realizar o trabalho de estimulação; sabemos que há uma estrutura de direção, uma equipe de saúde”.

“No caso do ‘Eduque seu filho’ tudo recai no trabalho da família. Isto faz com que nós, como direção nacional, tenhamos que oferecer maior importância no que fazemos e em todo o trabalho de capacitação e superação com aquelas pessoas dedicadas a trabalhar no programa”.

“Estas promotoras são profissionais da educação, preparadas pelo Ministério de Educação para realizar esta atividade em cada um dos conselhos populares. Neste momento, estamos trabalhando para ter duas promotoras por conselho popular”.

“Elas se valem de executores procedentes de outros setores sociais que não são licenciados em Educação e, portanto, necessitam de uma preparação sistemática. Quem dá isso? As promotoras. Essa é uma de suas funções fundamentais: capacitar todos esses agentes educativos”.

Que experiência teve Cuba em congressos anteriores de Educação Inicial e Pré-escolar?

“O Celep enriquece-se com estes eventos e contribui com os outros países. A maneira em que se organiza a educação em Cuba é bem diferente de como se faz em outros contextos, onde a maneira em que se organiza o trabalho educativo a maior parte não cai no setor estatal, senão no privado. Em Cuba é diferente”.

“O que ficou bem claro é a experiência que temos na pesquisa científica, no relacionado com o desenvolvimento infantil nos seis primeiros anos de vida e os resultados que fomos acumulando com o ciclo de pesquisas”.

“No último encontro mostramos os resultados de cinco pesquisas realizadas por nosso centro. Uma delas foi a apresentação de um Modelo de Capacitação Diferenciada, que diz a todos os agentes como atender às deficiências que têm cada um dos agentes educativos. Isso foi muito bem recebido e fomos convocados por vários países para levar estas pesquisas científicas a esses contextos”.

Que países são os que tradicionalmente têm maior participação desta classe de evento?

“Aos nossos encontros geralmente assistem delegados de 25 países. As delegações maiores são do México, Colômbia, Venezuela, Equador, Brasil, Honduras, Panamá, Nicarágua, Costa Rica, Espanha e o Chile. Também recebemos nações de fala inglesa”.

Uma última consideração sobre o Eduque seu filho?

“Acho que nós não podemos perder essa ideia. Os 80% da população infantil de zero a seis anos é educada através dessa modalidade. Essa bússola nós não podemos perdê-la, não só o Celep nem o Ministério de Educação. Eu diria que ninguém porque cada vez mais em todos os países se está voltando o olhar para a primeira infância”.

Voltar

Pesquisar no site

© 2008 Todos os direitos reservados.