Cuba realiza congresso pedagógico:”Pensar a América Latina”

26/01/2011 20:39

Começou nesta segunda-feira (24) em Havana o Congresso Internacional de Pedagogia 2011. No centro dos debates o pensamento do herói nacional cubano, José Martí (1853-1895).

"Pretendemos para nossos povos políticas educacionais extraídas de Martí e de outros pensadores para pensar o homem latino-americano", comentou em conversa com a agência Prensa Latina Diosvany Ortega, vice-presidente de um dos quatro foros do congresso.


A partir da obra martiana projetaremos como queremos que sejam as políticas educacionais e os cidadãos da região, acrescentou Ortega ao comentar sobre o foro Pensamento educativo e humanista de Martí e outros destacados educadores, que se realizará na próxima sexta-feira (28).


Será a primeira vez que o foro martiano se estende a educadores do continente, com cinco dias de sessões no Palácio de Convenções de Havana, com a esperada participação de pelo menos 3.600 delegados de 23 países, incluindo os anfitriões.


Entre as personalidades tratadas pelos painelistas estão o Libertador Simon Bolívar, o brasileiro Paulo Freire, o guerrilheiro argentino-cubano Ernesto Che Guevara, o equatoriano Juan Montalvo Fiallos e o líder da Revolução cubana, Fidel Castro.


Para Ortega, outro momento especial será a apresentação de cartazes com figuras de professores que não aparecem nos livros de história, mas que em seus povos se converteram em verdadeiras instituições.


Já existe um CD com mais de mil educadores destacados em suas respectivas localidades no século 20, produzido no ano passado pela Associação de Pedagogos de Cuba como parte da seção cubana da Associação de Educadores Latino-Americanos e Caribenhos.


É esperada no congresso a presença de vários ministros de países membros da Aliança Bolivariana para os Povos de Nossa América (Alba) e da África.


Como já é tradicional a titular cubana da Educação, Ena Elsa Velázquez, fará a conferência inaugural intitulada nesta ocasião “O desafio à educação: o futuro das nações latino-americanas e caribenhas.


Também tomarão a palavra os ministros da Educação da Venezuela, Jennifer Gil, da Bolívia, Roberto Aguilar, e da Guiné Bissau, Artur Silva.


Entre as delegações mais numerosas se encontram, pela ordem, as da Venezuela e México, que superarão mil participantes cada uma, a de Cuba, com 600, e a do Brasil (500), segundo os organizadores.


Prensa Latina

Voltar

Pesquisar no site

© 2008 Todos os direitos reservados.