Cuba: Camilo acompanha o Che na Praça da Revolução

30/10/2009 19:56

    A escultura de Camilo Cienfuegos acompanha, desde 27 de outubro, a de Che Guevara na histórica Praça da Revolução José Martí, em Havana, quando se completam 50 anos de seu desaparecimento físico, em 28 de outubro de 1959.

No fundo do prédio do Ministério de Informática e Comunicações encontra-se a escultura do artista plástico Enrique Ávila, também autor da obra escultórica do Guerrilheiro Heróico, situada na edificação contígua.

Lê-se no extremo inferior direito a inscrição: “Fidel, vais bem”, em alusão à resposta dada pelo Herói de Yaguajay, Camilo Cienfuegos, ao líder histórico da Revolução, Fidel Castro, em 8 de janeiro de 1959, quando, no ato onde declarou que o quartel de Columbia seria transformado numa escola, lhe perguntou: “Camilo, eu vou bem?”.

A pedido da direção máxima do país, uma dezena de empresas executaram esta obra, que abrange a homenagem de todo o povo ao Senhor da Vanguarda, como Camilo é conhecido.

Conseguir a maior semelhança entre as duas peças escultóricas foi premissa desde a concepção do projeto, para o qual foi construída uma parede que imita o acabamento da fachada, onde se encontra a imagem do Che, no prédio do Ministério do Interior.

Enrique Gandulfo, chefe técnico da obra, explicou que, para comunicar o fundo da escultura com o imóvel, foi preciso armar uma estrutura de ferro, enquanto os alicerces precisaram de 129 metros cúbicos de betão, com o fim de sustentar mais de 100 toneladas de peso da obra.

A montagem da estrutura de ferro, de mais de mil elementos e completamente fixada com parafusos, iniciou-se em 4 de outubro último.

Camilo Cienfuegos desapareceu fisicamente quando vinha em um teco-teco proveniente da província de Camagüey, depois de ter cumprido uma missão relacionada com a tentativa contra-revolucionária do traidor Hubert Matos.

Fonte: O Outro Lado da Notícia, a partir de artigo do jornal Granma

Voltar

Pesquisar no site

© 2008 Todos os direitos reservados.