Chanceler do Vaticano expressa admiração por escolas especiais de Cuba

24/06/2010 00:54

HAVANA, Cuba, 21 jun (acn) - O ministro das Relações Exteriores do Vaticano, Dominique Mamberti, manifestou na sexta-feira em Havana sua admiração pelo trabalho realizado pelas escolas especiais da ilha.

De acordo com a PL, Mamberti visitou o Escola especial de Havana "Solidariedade ao Panamá", fundada pelo líder da Revolução cubana, Fidel Castro, em 31 de dezembro de 1989, em que 1276 crianças com limitações físicas e intelectuais estudaram até a presente data.

Durante sua visita, o ministro das Relações Exteriores do Vaticano viu as crianças se desenvolvendo em suas atividades diárias de aulas, oficinas, ginásios e centro de informática, além de falar com eles.

Dom Domique foi saudado pela diretora da escola Esther de la O Ochoa, que tem 42 anos de experiência em educação especial. Ela disse ao funcionário do Vaticano que no centro atualmente há 109 crianças, a maioria cubanas, mas com algumas outras da América Latina.

Mamberti também conheceu das 496 escolas de ensino especial que há em Cuba e das mais de 60 mil crianças que nelas estudam. Ele também foi informado sobre a existência de professores que visitam as casas das crianças que não podem comparecer fisicamente às instituições de ensino, gratuitas por sinal, como o resto dos serviços educacionais para o resto da população.

O ilustre visitante foi presenteado com peças de artesanato produzidas como parte da reabilitação física das crianças.

Ao assinar o livro de visitas na escola, Mamberti destacou a sua admiração em relação aos professores e as crianças que conheceu no centro.

 

Agência Cubana de Notícias

Voltar

Pesquisar no site

© 2008 Todos os direitos reservados.