Assange demonstra solidariedade aos Heróis de Cuba presos nos EUA

14/11/2013 00:30

O fundador do Wikileaks, Julian Assange, fez uma videoconferência com jovens blogueiros cubanos nesta quinta-feira (26) e apareceu na tela com uma fita amarela no peito, demostrando solidariedade com os Heróis de Cuba, que estão presos nos EUA há 15 anos.


Leon Neal/France Presse
 Assange

Julian Assange participa de fórum com jovens cubanos

“Minha solidariedade aos Cinco”, disse Assange sobre o caso de Gerardo Hernández, Antonio Guerrero, Ramón Labañino, Fernando e René González, que foram acusados de conspiração e espionagem quando, na verdade, combatiam os atos terroristas das organizações anticastristas da Flórida. Eles foram presos em 1998 e apenas René está em liberdade após cumprir sua pena integralmente nos Estados Unidos.


Durante uma oficina sobre ciberjornalismo transmitida pelo Instituto Internacional de Jornalismo José Martí de Havana, o fundador da organização responsável pelo maior vazamento de documentos sigilosos da história dos EUA afirmou que o Wikileaks, assim como Cuba, também vive um bloqueio do país imperialista.

"Este momento que estamos vivendo juntos reflete algo que está passando no mundo, porque permite romper um bloqueio imoral como o que está sofrendo Cuba e isso é algo que o Wikileaks tenta superar, trazendo um novo tipo de solidariedade e de conjunção entre as pessoas que estão lutando pela mesma causa", expressou Assange.

“A razão deste bloqueio acontece porque são contra que Cuba tenha sua própria determinação. O desejo de bloquear o Wikileaks vem do desejo que não se fale com liberdade do que passa nos EUA", comparou.

Ele disse aos jovens cubanos que vivemos em um estado midiático e as decisões que tomamos se baseiam naquilo que conhecemos. Sobre isso, Assange citou Noam Chomsky que disse "que os meios são como o bastão que qualquer ditador pode carregar".

Ao mesmo tempo em que o fundador do Wikileaks assegurou que a internet é um espaço que lhe permitiu romper o bloqueio norte-americano e dizer a todos a verdade, ele ressaltou que as poucas corporações de grande porte manipulam também esses espaços e resistem em dizer a verdade.

Fita amarela

Partiu de René Gonzáles a iniciativa da jornada de fitas amarelas em prol de seus companheiros de luta, que permanecem presos nos EUA. O símbolo da manifestação popular que faz parte da Jornada Internacional de Luta pela Libertação dos Cinco é uma velha marca norte-americana que indica a espera por alguém que está longe.

O emblema da fita amarela ficou conhecido na canção popular "Tie a Yellow Ribbon Around the Old Oak Tree" (amarre uma fita amarela ao redor da velha árvore de carvalho). A música conta a história de um preso que está para sair da cadeia e que a única coisa que pede à sua prometida é que coloque uma fita amarela na árvore, se ainda o amar. Quando chega, o homem se depara com cem fitas amarradas em um carvalho.

Gonzáles dirigiu um videoclipe com os músicos cubanos Silvio Rodríguez e Amaury Pérez, interpretando a música dos anos 1970. Segundo ele, trata-se de “uma mensagem do povo cubano ao povo norte-americano, através de um símbolo de carinho que eles consigam compreender em seu idioma”.

Théa Rodrigues, da redação do Vermelho,
Com informações do Cuba Debate

Voltar

Pesquisar no site

© 2008 Todos os direitos reservados.